Site Autárquico

Convento da Nossa Senhora da Assunção/Museu Municipal de Faro

Monumento Nacional -

 

É um edifício de características renascentistas, com uma igreja manuelina com cúpula barroca, e entrada lateral através de um pórtico do renascimento.

 

Com especial destaque para o claustro em estilo Coimbrão, de dois pisos, com contrafortes salientes, arcadas de volta inteira no piso térreo e arquitrave no piso superior e para a decoração animalista das gárgulas.

Em 1519, a Rainha D. Leonor, manda edificar na cidade de Faro, no local onde funcionou durante séculos a próspera judiaria de Faro, um convento destinado às freiras Capuchas de Santa Clara. As obras iniciadas por D. Leonor são prosseguidas por D. Catarina que para isso contrata o arquiteto Afonso Pires.

Em 1550 dá-se por concluída a construção do convento de N.ª Sr.ª da Assunção ou Convento das Freiras.

O ataque dos Ingleses em 1596 causa grandes danos no edifício, o terramoto de 1755 faz ruir a igreja e parte dos dormitórios.

No século XIX o convento é abandonado, indo as freiras para a cidade de Tavira. Nos finais desse século é comprado por particulares instalando-se no seu interior uma fábrica de cortiça.

Em 1948 é classificado como Monumento Nacional, sendo restaurado na década de sessenta.

 In Faro . Evolução Urbana e Património, PAULA, Rui M.; PAULA, Frederico; edição da Câmara Municipal de Faro, 1993.

Desde 1973 o edifício alberga o Museu Arqueológico e Lapidar Infante D. Henrique – presentemente designado Museu Municipal de Faro
 

  

Ficha Técnica 

Classificação

Monumento Nacional

Encomenda

Rainha D. Leonor

Autor/es

Afonso Pires, arquiteto (portal da igreja e claustro); Diogo Pires, mestre-de-obras da Rainha D. Catarina na cidade de Faro (janelão da capela-mor)

Data de construção/reconstrução/outras intervenções

Séc. XVI, XVIII, XIX e XX

Tipologia

Arquitetura religiosa, renascentista, maneirista. Conjunto arquitetónico composto por claustro, dependências, igreja e cerca. Claustro com quatro alas para o qual abrem várias dependências de plantas quadrangular/retangular com dois registos, igreja de planta longitudinal, nave única coberta de abóbada de canhão; capela-mor quadrangular coberta por cúpula com coros-alto e baixo e entrada lateral

Particularidades

O Claustro é um dos exemplares mais expressivos do 1º Renascimento no Algarve. Com contrafortes salientes rematados por gárgulas zoomórficas a separar os arcos semi-circulares no piso térreo e as arquitraves no piso superior. As alas do piso térreo são cobertas por abóbadas de cruzaria. O Portal principal da igreja apresenta pilastras coríntias lavradas sobre plintos, a cornija é encimada pelo brasão com a insígnia da fundadora

 

 

+ INFO

Morada:
Lrg. D.  Afonso III, n.º 14
8000-167 Faro
37º0'46.68''N 7º56'2.57''W
Tel. (+351) 289 870 829
E-mail: museu.municipal@cm-faro.pt
Website: www.cm-faro.pt