Site Autárquico

À procura de um (sem)sentido (ir)representável

À procura de um (sem)sentido (ir)representável

De 07 de agosto de 2021 a 26 de setembro de 2021

Ler Artigo

A criação artística como procura de ordem, não a partir da desordem, mas através da reordenação. Uma ordem, não da forma, mas da informalidade do sentimento.
O desenho como exploração, não para representar a forma pré-definida, mas como redefinição da forma de explorar o pensamento visual. Uma redefinição, não do significado, mas do modo de o revelar.
O processo gráfico desenvolvido, não na base do caos de um princípio originário, mas como estruturação de um imaginário completamente livre. Uma liberdade, não de desapego, mas de procura de apego.
O pensamento sobre e através da forma, não como meio de a reconhecer, mas para conhecer(-se). Um conhecer-se, não do ser, mas do sentimento do ser.
Expressão de uma sensibilidade, não à estética, mas à descoberta de uma sensibilidade afetiva à consubstanciação da imagem (de si). Uma imagem, não pré-visível, mas para além do (antes) visível.
Uma manifestação idiossincrática, não do mental, mas do sistema mente-corpo. Um sistema, não de justaposição, mas de simbiose.
Uma idealização, não de um objet(iv)o, mas da subjetividade do fenómeno de o descobrir indeterminadamente. Um fenómeno, não absolutamente tangível, mas no sentido de um redescoberta em devir absoluto.